sexta-feira, outubro 15, 2004

Vai!

Por essa estrada, vai, se houver amor,

Para inventares um mundo trovador,

Que encontra na cantiga a melodia

E na palavra o doce som da poesia.

 

Por esses trilhos, vai, se houver paixão

Pelo que é simples, pelo artesão,

Pelo rodopiar das velas dos moinhos,

Pelo fermentar da espuma roxa dos vinhos.

 

Vai, por esse rumo, vai, pela aventura

De sentires que, apesar da terra dura,

O lírio cresce em flor e em caule forte

E num Outono triste encontra a morte.

 

Mas ainda há tempo, vai, se houver coragem

De enfrentares os espinhos da viagem,

De colheres, no campo verde, a flor lilás

E semeares, na guerra, um grão de paz.

 

Vai se houver ternura, se houver vontade

De proclamares ao mundo a liberdade

E aos homens roubares armas e ambição.

Vai… e ensina ao povo esta canção!

4 Comments:

Blogger PQ said...

Estou sem palavras, mesmo, por isso quedo-me mudo e quedo, quero ver mais.

15 outubro, 2004 19:05  
Blogger Tuna said...

Muito bonito.

18 outubro, 2004 18:26  
Blogger PQ said...

Poesia no coração, fechada a sete chaves :)

18 outubro, 2004 18:38  
Blogger Lia said...

Um :) e um * para cada um dos dois.

19 outubro, 2004 15:42  

Enviar um comentário

<< Home

Outras Paragens

  • Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
  • Deco-Pro Teste
  • Inépcia
  • Poesia - As Tormentas
  • Portal do Cidadão
  • Vintage Blogs

  • Confissões de uma mulher de 30
  • Datas na História
  • É um mundo cão este das aparências
  • Hemoglobina Pura
  • Horas Negras
  • Oficina das Ideías
  • Papoilas Que Pingam Algodão Doce
  • Sistema de Blogs da Assembleia de República
  • Tasca da Cultura