quinta-feira, fevereiro 10, 2005

Cegueira

O ar atónito do animal deixa-me surpreso. Estaria à espera de quê? Sonharia morrer de pé? Sobreviver sem mazelas à catástrofe dos dias iguais e ao repetir maquinal de todos os gestos? A surpresa maior vem sempre daquele lugar profundo e miserável que albergamos dentro de nós, bem perto do núcleo, cá dentro.

Outras Paragens

  • Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
  • Deco-Pro Teste
  • Inépcia
  • Poesia - As Tormentas
  • Portal do Cidadão
  • Vintage Blogs

  • Confissões de uma mulher de 30
  • Datas na História
  • É um mundo cão este das aparências
  • Hemoglobina Pura
  • Horas Negras
  • Oficina das Ideías
  • Papoilas Que Pingam Algodão Doce
  • Sistema de Blogs da Assembleia de República
  • Tasca da Cultura